ATUALIZE-SE COM O IMB

Encontre nessa página notícias relevantes do meio jurídico

Presidente do IMB compareceu à inauguração do novo painel do Pátio D’Armas do Museu Naval
Fonte: IMB / Fotos: Euclydes Oswaldo Aranha
Data: 15/12/2021

O Presidente do Instituto dos Magistrados do Brasil-IMB, Desembargador Fábio Dutra, a convite do Diretor do Patrimônio Histórico e Documentação da Marinha, Vice-Almirante (RM1) José Carlos Mathias, compareceu, na quarta-feira passada, dia 8, à inauguração do novo painel do Pátio D’Armas do Museu Naval, no Centro do Rio. Também presente ao evento o 1º Secretário Adjunto do IMB, Desembargador Roberto Felinto, que, além de ter sido oficialmente convidado, representou os Presidentes da AMB e Amaerj.

 

O evento foi uma realização da Marinha do Brasil e teve o patrocínio do Dr. Aloysio Maria Teixeira Filho, filho daquele que autorizou a cessão do edifício onde hoje está o Museu quando era Presidente do Tribunal de Justiça do Estado da Guanabara, Desembargador Aloysio Maria Teixeira, que também foi 1° Vice-Presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB).


O Museu Naval é vizinho do IMB e fica sediado na Rua Dom Manuel, 15, Centro, Rio de Janeiro. O cerimonialista foi o Assistente da Diretoria do Patrimônio Histórico e Documentação da Marinha (DPHDM), Capitão Tenente (T) Alessandro Dambroz.


Em seu discurso, o Diretor do DPHDM contou que o prédio foi inaugurado no 35º Aniversário da Batalha Naval do Riachuelo, Data Magna da Marinha, em 11 de junho de 1900, e foi sede do Clube Naval por sete anos, até que se mudasse para a sua definitiva, na Avenida Rio Branco. Ele lembrou, ainda: “Com a criação do Museu Histórico Nacional, por meio de decreto do Presidente Epitácio Pessoa, de 2 de agosto de 1922, o Museu da Marinha e outras instituições, como o Arquivo Nacional, a Biblioteca Nacional e a Escola Nacional de Belas Artes, entre outras, tiveram que transferir seus acervos (partes ou em sua totalidade) para compor o do novo museu. Em decorrência, o Museu da Marinha foi fechado e este prédio vendido para o Ministério da Educação, de modo a complementar o valor para a construção do Edifício Almirante Tamandaré, que viria ser a nova sede do Ministério da Marinha, além de abrigar, mais tarde, as repartições que outrora funcionavam aqui na Rua Dom Manuel.”


Segundo o Diretor, a Marinha sempre manteve o anseio de voltar a ter local próprio para preservar e dividir com o público a sua história. “Finalmente, décadas mais tarde, em 1967, este prédio de arquitetura ímpar da Rua Dom Manuel, evocando temas marítimos em suas fachadas, voltaria a ser o endereço de nossas memórias histórico-navais. A cessão do edifício foi autorizada pelo então Presidente do Tribunal de Justiça do Estado da Guanabara, Desembargador Aloysio Maria Teixeira, em cujas veias corria a água salgada dos Oficiais de Marinha. Dileto amigo da Marinha, o Desembargador Aloysio é neto do Almirante Manoel Joaquim Nóbrega de Vasconcellos, que, ao longo de uma carreira de mais de 41 anos dedicados à Pátria, foi Comandante da Escola de Aprendizes do Pará, Capitão dos Portos de Alagoas, Comandante da Canhoneira Guarany, Comandante do Aviso Fluvial Jutahy, Comandante do Cruzador Centauro, Capitão dos Portos do Piauí, Capitão dos Portos do Pará e Diretor de Praticagem da Barra do Rio Grande do Sul”, afirmou.


Em 1972, no Sesquicentenário da Independência, o Museu Naval foi reinaugurado. O iretor do DPHDM ainda destacou a criação do Boulevard Olímpico, que criou um corredor cultural margeado Baía de Guanabara. “E, em todo este período, o Museu Naval manteve-se firme, altivo, preservando a memória histórico-cultural da Marinha e tendo papel fundamental na difusão da mentalidade marítima na sociedade brasileira.”


Ele agradeceu a parceria do Dr. Aloysio Maria Teixeira Filho para a inauguração do painel: “2022 é amanhã, mas para a Marinha é agora, celebrando desde já o Bicentenário da Independência do Brasil e os 200 anos de nossa Esquadra, e, neste sentido, a DPHDM sente-se honrada e grata em inaugurar este novo painel de nosso Pátio D’Armas, que conta em minúcias toda a história do Museu Naval e sua edificação — um presente do Dr. Aloysio Maria Teixeira Filho.” E finalizou: “Tenha certeza: a História também lhe agradece”.

 


Nas fotos:

 

 

 

Dr. Aloysio Maria Teixeira Filho, Desembargador Fábio Dutra, Vice-Almirante (RM1) José Carlos Mathias e Desembargador Roberto Felinto

 

 

Desembargadores Fábio Dutra e Roberto Felinto na plateia

 

 

 

Capitão Tenente (T) Alessandro Dambroz, Dr. Aloysio Maria Teixeira Filho e Capitães de Corveta (T) Bárbara, Miquilini e Adriana

topo